Dissertações — 2015

Neste ano até o momento foram defendidas 12 dissertações.

Útlima atualização 10/06/2019

 

Alessandra do Carmo Rocha

Título: A contribuição do texto literário na formação do leitor competente

Orientador(a): Danúsia Torres dos Santos

Páginas: 127


Esta pesquisa tem como objetivo estabelecer uma contribuição para uma reflexão sobre o ensino de leitura, mediante propostas estratégicas de leitura literária que possam desenvolver o gosto por ela, assim como formar sujeitos com habilidade leitora. Pretendemos investigar de que forma o texto literário pode contribuir na formação do leitor autônomo e competente. Adotamos como percurso metodológico uma pesquisa qualitativa de cunho etnográfico e de natureza aplicada. Para tal fim, optou-se por um aporte teórico consonante com a Metodologia Recepcional criada por Bordini e Aguiar e sequência didática expandida de Rildo Cosson. Para tanto, empregamos uma oficina de leitura como proposta de atividade em uma turma de Correção de Fluxo do ensino fundamental de uma escola estadual da cidade de Niterói com adolescentes entre quinze e dezoito anos, os quais tiveram participação relativamente boa nas atividades propostas. E ao se manifestarem na etapa de questionamento do Horizonte de expectativa, percebemos uma evolução nas respostas quanto ao prazer de ler, afirmando que gostaram de participar da oficina de leitura, e que tal atividade contribuiu para algum aprendizado. A coleta de dados se deu por meio de observações, questionários, debates, registros escritos e gravações de áudios e pesquisa bibliográfica. Nesse diagnóstico verificamos que a maioria dos alunos não tem o hábito da leitura e são oriundos de famílias não leitoras, apesar de terem livros em casa. Concluída a investigação foi possível detectar que houve uma boa receptividade pelos textos apresentados, atendendo os horizontes de expectativas dos participantes. Por fim, verificamos que a prática pedagógica com base no Método Recepcional favoreceu o ensino de leitura trazendo grande contribuição para a compreensão dos textos visto que os estudantes puderam confirmar e contestar as ideias e opiniões apresentadas nos textos.

Palavras-chave: Leitura, literatura, Método Recepcional, estratégia de leitura.

 

Alessandra Encarnação

Título: Compreensão e produção escrita em língua portuguesa na escola pública - O jornal #HASHTAG

Orientador(a): Claudio de Paiva Franco

Páginas: 191


A presente dissertação tem como propósito contribuir com o debate e estimular a reflexão sobre os parâmetros utilizados na elaboração de material didático desenvolvido para servir de base ao ensino de língua materna (COSSON, 2014; MATOS, CARVALHO, 1984; LEFFA, 2008; DIAS, 2007). A base teórica do trabalho aponta importantes questões conceituais para o desenvolvimento de tal material, elaborado à luz da teoria sociointeracionista da linguagem, postulado por Bronckart (1999, 2006) e Vygotsky (1996, 1998), que refletem sobre um interacionismo sócio-discursivo, e a teoria discursiva de Bakhtin (1990, 1997). A produção desse material tem o objetivo de desenvolver capacidades de linguagem nos discentes do Ensino Fundamental em atividades de leitura e de produção escrita, através de uma proposta de ensino que contemple a produção de textos, associando-a à noção de gêneros textuais (BAZERMAN, 2005; MAINGUENEAU, 1996, 2000; MARCUSCHI, 1983, 2005, 2008, 2015; TODOROV, 1978) e tipos de discurso que acontecem, notadamente, em gêneros jornalísticos, e perceber como esse conhecimento pode contribuir para desenvolver nos alunos participantes o que chamaremos de “competência discursiva”. Cabe ressaltar que o material didático desenvolvido e utilizado em sala de aula serviu de suporte para a produção de um jornal - o Jornal #hashtag -, que se tornou um projeto regular da escola. Os resultados pretendem apontar para a necessária discussão da relação entre elaboração de material didático e a formação do desenvolvimento discursivo dos sujeitos envolvidos.

Palavras-chave: interacionismo sócio-discursivo, competência discursiva; gêneros jornalísticos; material didático; produção escrita

 

Amanda Rodrigues Alves Catem

Título: Neologismos na sala de aula

Orientador(a): Maria Aparecida Lino Pauliukonis

Páginas: 81


O neologismo é um fenômeno linguístico bastante recorrente e produtivo na língua portuguesa e constitui-se como um rico processo de desenvolvimento do léxico de uma língua. Nesse sentido, o objetivo desta pesquisa foi levar as unidades neológicas, encontradas nas matérias selecionadas do jornal Lance! e da revista TodaTeen, à sala de aula a fim de explorar as significações dos neologismos dentro de um contexto comunicativo. Para isso, destacamos a importância de trabalhar com esse processo de renovação lexical nas aulas de língua portuguesa, preconizando a contextualização dos vocábulos para levar os discentes a refletirem sobre a língua em situações reais de comunicação. Para a delimitação dos itens neológicos, adotamos o critério lexicográfico, apoiado em um corpus de exclusão composto pelo Vocabulário Ortográfico da Língua Portuguesa (VOLP) e pelos dicionários Aurélio (2008) e Michaelis (versão online). Com base nisso, apresentamos os resultados obtidos em atividades de leitura, debate e inferências realizadas em uma escola do segundo segmento do ensino fundamental a fim de verificar a eficiência desse tipo de trabalho.

Palavras-chave: Neologismo; Léxico; Língua Materna; Ensino

 

Daniela da Silva de Souza

Título: Estratégias de indeterminação do sujeito: uma proposta pedagógica para o ensino de gramática

Orientador(a): Silvia Rodrigues Vieira

Páginas: 169


O presente trabalho objetiva proceder ao levantamento das estratégias de indeterminação do sujeito empregadas por alunos da rede pública e elaborar um estudo dirigido que abarque tais estratégias a partir de três eixos de ensino de Gramática (VIEIRA, 2014), quais sejam: (i) gramática como atividade linguística, epilinguística e metalinguística (FRANCHI, 2006), (ii) gramática como recurso para a construção de sentido do texto (NEVES, 2006; PAULIUKONIS, 2007) e (iii) gramática como expressão de variação (VIEIRA, 2013; BORTONI-RICARDO, 2004; GÖRSKI; FREITAG, 2013). Para realizá-lo, foi empreendida, primeiramente, uma pesquisa de base sociolinguística em uma escola da rede pública do município do Rio de Janeiro com 150 alunos do nono ano, cuja finalidade foi verificar que estratégias de indeterminação estão sendo usadas por eles e se a escola tem sido bem-sucedida nas tarefas de desenvolver o conhecimento do aluno sobre o tema, ampliar o repertório quanto às estratégias de indeterminação, e, ainda, relacionar essas estratégias ao nível da leitura e produção textuais. Nessa etapa diagnóstica, foi possível verificar que os estudantes fazem uso de um variado número de estratégias de indeterminação, em sua maioria não contempladas pela Gramática Tradicional. Dentre os mecanismos de indeterminação mais utilizados pelos alunos, constatamos, além da terceira pessoa do plural, o uso de formas nominais generalizantes, das formas pronominais nós (expressa/não expressa) e você, e dos pronomes indefinidos alguém, ninguém e todo. Verificamos, também, que as duas únicas estratégias descritas pela Gramática Tradicional como formas de indeterminação apresentaram baixo percentual de uso, principalmente a construção com verbo na 3a pessoa do singular + se. Em seguida, como fundamentação teórica para a elaboração do trabalho, procuramos articular os três referidos eixos do ensino com a reflexão sobre conceitos relacionados a gramática, norma e variação linguística. O estudo dirigido proposto objetiva oferecer uma visão apurada e ampla sobre o tema, instrumentalizando seu público-alvo a refletir sobre o fenômeno em questão, por meio da abordagem reflexiva da gramática. Deseja, também, ampliar o repertório de estratégias de indeterminação, usando a que julgar mais adequada, seja esta aceita ou não pela Gramática Tradicional, em cada uma das mais diversas situações comunicativas do cotidiano, nas modalidades falada e escrita, sem desmerecer a desejável integração gramática e texto, sempre que possível.

Palavras-chave: Indeterminação do sujeito. Diagnose. Estudo dirigido. Variação. Gramática.

 

Danielle Ramos de Moraes

Título: Cognição e compreensão leitora de alunos da EJA

Orientador(a): Adriana Leitão Martins

Páginas: 149


A compreensão do raciocínio humano é fundamental para a construção do aprendizado da leitura. Com base nesse princípio, propomos esta pesquisa de dissertação que tem por objetivo avaliar e problematizar o que acontece no processamento cognitivo dos sujeitos do Ensino Fundamental ao ler e compreender um texto em Língua Portuguesa. O foco deste estudo são 34 (trinta e quatro) alunos do período final do Ensino Fundamental da Educação de Jovens e Adultos (EJA). Para o desenvolvimento deste trabalho, estamos ancorados em estudos dos campos da Cognição e do Ensino, tendo como norteadores os pressupostos teóricos de Applegate et al (2002), que sugerem uma investigação da compreensão leitora a partir de quatro diferentes níveis de leitura. Como metodologia de pesquisa, aplicamos um teste de compreensão leitora aos pesquisados em que os quatro níveis de leitura propostos por Applegate et al (2002) eram avaliados. Os resultados da pesquisa revelam a necessidade de maiores práticas em sala de aula com enfoque na identificação dos comandos das questões de compreensão leitora. Também apontam para a necessidade de uma prática que estimule o desenvolvimento de níveis de leitura que exigem mais inferências e análises críticas do aprendiz, como é o caso do nível inferencial reflexiva global de leitura. Tais níveis são os que de fato levam os alunos a terem maior consciência de suas ações cognitivas ao ler e compreender um texto, possibilitando, assim, melhor qualidade de leitura.

Palavras-chave: Cognição. Leitura. Ensino-aprendizado da Língua Portuguesa. EJA.

 

Elisane Nunes da Silva

Título: O diagnóstico de dislexia e a postura do professor do ensino fundamental II

Orientador(a): Gean Nunes Damulakis

Páginas: 108


Tendo em vista a presença de alunos diagnosticados com dislexia em nossa sala de aula, o objetivo principal deste trabalho consistiu em investigar o panorama atual dessa dificuldade de aprendizagem, considerando que não existe unanimidade em torno desse tema. Em linhas gerais, mostraremos os esforços que têm sido empreendidos por estudiosos de várias áreas do conhecimento em busca da etiologia, do diagnóstico acurado e de possíveis intervenções. Para reforçar essa investigação, houve a aplicação de testes de Consciência Fonológica em alunos do Ensino Fundamental II de uma escola pública. Constatamos que a massificação do diagnóstico de dislexia tem sido um entrave ao sucesso escolar de determinados alunos e um impeditivo de práticas pedagógicas específicas. Também o professor do Ensino Fundamental II precisa de formação relacionada a esse assunto. Tendo em conta que sua responsabilidade não é a de ensinar a ler, no sentido de decodificação, mas, mesmo assim, recebe em suas classes alunos que não dominam nem a leitura, nem a escrita, investigamos essa dificuldade de aprendizagem, com o intuito de informar esse professor a respeito da dislexia, abrindo caminhos para uma prática pedagógica mais eficaz para o aluno com dificuldades em leitura.

Palavras-chave: dislexia, dificuldades de aprendizagem em leitura, fracasso escolar, professor.

 

Flávia Alves Gomes

Título: Ensino de leitura em língua portuguesa: uma proposta de material didático voltado para a formação de alunos-leitores críticos da rede pública

Orientador(a): Claudio de Paiva Franco

Páginas: 136


Nesta dissertação, apresento material didático voltado para o ensino de leitura em língua portuguesa, visando contribuir positivamente para a formação crítica dos alunos-leitores de uma escola municipal do Rio de Janeiro, na qual atuo como professora há quase 6 anos. O referido material didático foi elaborado a partir das minhas percepções em relação às reais dificuldades e necessidades que mais se destacavam nos meus alunos quanto à compreensão leitora. O material didático aqui proposto, a ser utilizado no ensino de leitura nas aulas de Língua Portuguesa, é composto por quatro unidades e tem como principal objetivo a formação de leitores críticos. Além disso, busquei propor um material didático que pudesse romper com as práticas tradicionais de ensino de leitura e focalizasse o ensino da leitura sob a concepção sociointeracional. Dessa forma, as atividades pedagógicas propostas baseiam-se na abordagem sociointereacional com ênfase no trabalho de gêneros textuais. Como fundamentação teórico-metodológica do material didático elaborado, foi realizado um levantamento teórico sobre as diversas abordagens de leitura existentes (LEFFA, 1996; TAVARES, FRANCO, 2014), gêneros textuais (BAKHTIN, 2000; MARCUSCHI, 2008; ANTUNES, 2009) e letramento crítico (KLEIMAN, 2005; SOARES, 2009).

Palavras-chave: leitura, gênero textual, letramento crítico

 

Laura Candida Domingues de Lima

Título: Um olhar investigativo sobre avaliações aplicadas no Ensino Fundamental II de uma escola da rede pública do RJ

Orientador(a):  Patricia Maria Campos de Almeida

Páginas: 157


Este estudo trata da análise de questões que compõem avaliações elaboradas durante os quatro bimestres do ano letivo de 2014 por docentes de uma escola pública do município de Queimados, na Baixada Fluminense do estado do Rio de Janeiro, para as seguintes disciplinas do Ensino Fundamental II (do 6o ao 9o ano): Língua Portuguesa, História, Geografia, Matemática e Artes. Analisaram-se possíveis obstáculos à compreensão do aluno, considerando o que teóricos sobre o assunto apresentam como barreiras. Além disso, realizou-se um cruzamento dos resultados da análise das provas com as diretrizes propostas pelos órgãos oficiais, com especial atenção para os Parâmetros Curriculares Nacionais, verificando-se convergências e divergências. Ressaltam-se as orientações presentes nos documentos oficiais quanto ao estimulo às habilidades de leitura, de escrita e de questionamento crítico, as quais, na maior parte dos casos, conforme análise feita, não são o foco das avaliações investigadas, o que se configura como um problema a ser debatido e solucionado.

Palavras-chave: questões escolares; avaliações; docentes; escola pública; diretrizes oficiais.

 

Lays Fernandes dos Santos

Título: A produção textual escrita no ensino fundamental: o direito à autoria

Orientador(a):  Kátia Cristina do Amaral Tavares

Páginas: 151


A presente dissertação de mestrado é uma pesquisa-ação que pretende investigar as ações pedagógicas nas aulas de leitura em língua portuguesa de uma escola pública de ensino fundamental e avaliá-las sob o ponto de vista dos participantes colaboradores, a fim de realizar uma triangulação de dados e levantar ações pedagógicas que devam ser mantidas, reformuladas ou substituídas por ações inovadoras mais adequadas ao contexto dos alunos. Dessa forma, o presente estudo tem como objetivo responder à seguinte pergunta de pesquisa: Quais ações pedagógicas contribuem mais efetivamente para desenvolver as habilidades de compreensão escrita dos meus alunos? Para a geração de dados, foram utilizados os seguintes instrumentos etnográficos de pesquisa: diário de aula da professora, gravação de aula em vídeo, conversas informais, registros escritos de comentários da professora colaboradora e dos alunos. Para fundamentar a análise dos dados gerados, foi realizada uma revisão da literatura sobre as concepções de leitura e suas etapas com base nos estudos sobre leitura de Tavares e Franco (2014), Solé (1998), Koch (2011), Kato (1985), Amorim (1997), Costa-Hübes (2009), Silva (2004), Cosson (2014), assim como sobre as interações nas aulas de leitura, tomando como base os textos de Martins (2014), Garcia (2005), Gerhardt (2013 e 2014). Na análise de dados, foi possível refletir sobre ações pedagógicas mais eficientes e adequadas para o desenvolvimento da habilidade de compreensão escrita dos alunos e, posteriormente, elaborar duas sequências didáticas como sugestões para aulas de leitura.

Palavras-chave: leitura, ensino, estratégias de leitura, língua portuguesa, ensino fundamental

 

Mírian de Souza Ferreira da Rocha

Título: A produção textual escrita no ensino fundamental: o direito à autoria

Orientador(a):  Danúsia Torres dos Santos

Páginas: 167


Esta pesquisa está voltada para uma reflexão crítica do processo ensino/aprendizagem da produção textual escrita no Ensino Fundamental, tendo como público-alvo o aluno do sexto ano escolar da rede pública municipal da cidade do Rio de Janeiro. Nosso interesse está em identificar estratégias pedagógicas que possibilitem a aproximação do aluno com a escrita sem, contudo, anular o registro linguístico que este educando traz quando do ingresso na escola. Partimos de uma revisão bibliográfica e trazemos à discussão o posicionamento dos teóricos que, através de suas linhas de pesquisa, propõem encaminhamentos para um trabalho mais produtivo com essa modalidade discursiva, atendendo diferentes contextos escolares. Paralelamente dialogamos com os Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN), documento normativo que traz orientações quanto ao ensino de Português, com ênfase no trabalho com o texto em diferentes gêneros textuais e na valorização do aluno enquanto ser social e protagonista de sua história. Comentamos sobre a importância de o docente ter um bom embasamento linguístico, para que possa conduzir sua prática com mais segurança, minimizando preconceitos e sendo mais flexível ante determinadas situações, além de refletirmos sobre a prática docente, um dos elementos que caracterizam a pesquisa-ação, metodologia que orienta essa pesquisa. Apresentamos as produções textuais escritas dos alunos, explicitando seu desenvolvimento e comentando sobre o desempenho desses discentes ante as atividades propostas. Registramos nessas produções as ocorrências linguísticas comuns à maioria do grupo quando da estruturação do texto, sem a preocupação de quantificá-las numericamente. Importou-nos, prioritariamente, documentar, através da observação e de um trabalho intensivo com a leitura e a escrita durante todo o ano letivo, que esse aluno, independente da condição social, pode produzir bons textos e surpreender o professor com seu interesse e criatividade.

Palavras-chave: Produção textual escrita. Retextualização. Variação linguística

 

Núbia Melo Raminelli Mendonça

Título: A compreensão do humor na tirinha

Orientador(a):  Maria Aparecida Lino Pauliukonis

Páginas: 108


Esta dissertação tem o objetivo de abordar as características do gênero tirinha, observar como o seu humor é construído e trabalhar esses conceitos na sala de aula. Para realizar este trabalho, eu fiz uma pesquisa bibliográfica sobre gênero de texto, multimodalidade, leitura e produção de sentido, características do gênero tirinha e construção do sentido do humor. Além disso, analisei seis tirinhas do Garfield quanto às características do gênero e ao tipo de recurso utilizado para produzir o efeito humorístico. Posteriormente, realizei uma pesquisa com resultados quantitativos com uma turma minha do 6o ano do ensino fundamental da rede municipal de São Gonçalo, RJ. Concluo, a partir desse estudo, que o trabalho sistemático com tirinhas na sala de aula são muito importantes para a compreensão da tirinha e do sentido do humor presente nela.

Palavras-chave: Gênero de texto. Multimodalidade. Leitura. Tirinha. Humor.

 

Rosângela Francisco Forti

Título: O lugar do texto literário em livros didáticos: o conto no ensino fundamental II

Orientador(a):  Ana Crélia Dias

Páginas: 142


Vivemos numa sociedade letrada, portanto a leitura, especialmente a leitura crítica é imprescindível para a aquisição de conhecimentos e para que se usufruam seus direitos como cidadão. Tendo isso em vista o propósito desta pesquisa é investigar o lugar do conto nos livros didáticos de Língua Portuguesa, adotados por escolas públicas de um município da Baixada Fluminense do Rio de Janeiro. Clarificar qual é a posição que o conto ocupa para assim, analisar se as abordagens que os LD vêm fazendo corroboram ou não para o letramento literário, haja vista que esse tipo de letramento é o que capacita o leitor para a contemplação e reflexão de uma obra literária. A partir da análise do Currículo Mínimo da Secretaria Estadual de Educação e do processo de seleção de livros didáticos a pesquisa avança para analisar as abordagens feitas por duas coleções de tais publicações selecionadas. Apresento os resultados tanto os exames aos documentos oficiais, quanto das análises das coleções de LD adotados, bem como entrevistas realizadas com professores de algumas escolas da região supracitada. Concluí que apesar de o LD ser a principal porta de entrada de literatura nas escolas da região pesquisada e dessa publicação ser rodeada de várias ações preconizadas pelo PNLD, ainda assim existem muitas lacunas nesse processo, o que desemboca na subutilização desse material e, consequentemente em sua mínima contribuição para a formação de leitores literários. Após as investigações, proponho uma análise de um dos contos utilizados nas coleções analisadas.

Palavras-chave: contos; letramento literário; livro didático.

 

 

 

 

COORDENAÇÃO

Coordenador: Professor Gean Nunes Damulakis
damulakis@letras.ufrj.br

CONTATO

Entre em contato pelo e-mail oficial da pós-graduação: 

ENDEREÇO

Faculdade de Letras da UFRJ
Av. Horácio de Macedo, 2151
Cidade Universitária - CEP 21941-917
Rio de Janeiro - RJ